Coach agora é global. Espero que não seja banal.

Coach agora é global. Espero que não seja banal.

Há cerca de dois dias eu comentei: Legal. O coach agora é global. Espero que não seja banal. E não é que eu estava com razão? Nessa quinta feira ainda comentei sobre essa questão. Sou coach profissional, com certificações nacionais e internacionais e minha formação é pelo IBC que eu recomendo, pois possui excelentes formadores, dentre os quais Nelson Vieira, um de meus formadores. Mas, sempre fui crítico da banalização dessa “profissão”. Infelizmente, no Brasil há uma tendência à banalização de tudo. Hipnose Ericksoniana não é pra ser feita por aí por qualquer pessoa. Em minha opinião tem que ser realizada por psiquiatra ou psicólogo, com grande experiência profissional e formação específica para tal, com anos de dedicação à atividade. Não é porque fez um curso de formação e se tornou coach que vai sair hipnotizando pessoas por aí. Há diversas maneiras de se empregar as técnicas e ferramentas de coaching, nas mais diversas áreas de atuação. Eu as aplico em minhas aulas, nos trabalhos de consultoria e assessoria que desenvolvo e até em conversas informais com amigos e pessoas próximas. Obviamente, o processo de coaching, quando realizado a contento, propicia esta certa “viagem hipnótica”, na verdade, uma viagem que o indivíduo faz ao interior de si mesmo, durante as sessões e por meio de perguntas poderosas, feitas pelo coach ao coachee, pelo estado de flow durante as seções e pelo ambiente sinérgico que é criado,  mas, em minha opinião, é algo que acontece naturalmente, quando acontece. Em minha experiência com o coaching já vivenciei algumas situações desse tipo que não atribuo ao uso dessa técnica, já que não tenho formação para tal. Acho lamentável que uma ação midiática tenha servido para deturpar a atuação do coach, além de banalizá-la. Espero que as pessoas que assistem a novela façam os devidos filtros de informação e, caso desejem contratar um coach, escolha um que tenha formação adequada, experiência profissional, acadêmica, e, sobretudo, experiência de vida. Não saia abrindo as janelas de sua vida para qualquer pessoa. Alguém pode querer invadir sua a alma.

Orlando Barbosa Rodrigues – Administrador com especialização em Recursos Humanos, professor, mestre em ciências da educação, coach profissional, consultor, palestrante, assistente técnico em perícias contábeis e extrajudiciais, autor de livros e artigos sobre administração, coaching e liderança. Consultor associado à ABRACEM.

 

Adriana e Laura em cena nesta quarta (7)Reprodução/Globo

Fonte: https://diversao.r7.com/prisma/odair-braz-jr/o-outro-lado-usa-hipnose-em-vinganca-e-deturpa-tecnica-do-coach-08022018